top of page
  • IPACRI

Funkeira Ludmilla é acusada de intolerância religiosa

Funkeira Ludmilla é acusada de intolerância religiosa


A apresentação da funkeira Ludmilla no Coachella Valley Music and Arts Festival, nos Estados Unidos, causou uma polêmica internacional, no final de semana, ao exibir um vídeo durante a música “Rainha da Favela”.

Em determinado momento da apresentação, a artista brasileira exibiu num telão a seguinte frase: “Só Jesus expulsa o Tranca Rua das pessoas”, o que levou o público e seguidores de religiões de matriz afro a acusarem a cantora de preconceito e intolerância religiosa.


Pelas redes sociais fãs ficaram bravos e muitas pessoas a tem acusado de intolerância religiosa. “Intolerância religiosa é um pilar que afeta muita gente, principalmente nas comunidades, e você reforçar esse viés num espaço de visibilidade internacional não foi legal. Associar entidades de matriz africana ao mal foi feio e desrespeitoso”, disse um seguidor. “É tão difícil assim admitir que errou e pedir desculpas?”, indagou outra seguidora.


Deputado vai acionar Ministério Público

Segundo o site Agenda do Poder, o deputado Átila Nunes (MDB-RJ) anunciou que vai protocolar uma denúncia contra Ludmilla junto ao Ministério Público solicitando que a produção da artista retire o trecho, o qual considerou ofensivo.

“Ludmilla cometeu o crime de vilipêndio religioso ao exibir publicamente um vídeo claramente agressivo à Umbanda, bem como reforçou o sentimento preconceituoso contra as religiões de matriz africana”, justificou o deputado, que é umbandista.


Defesa da funkeira

Pelo X (antigo Twitter), Ludmilla se defendeu e negou que tenha atacado qualquer religião. “Quando eu disse que vocês teriam que se esforçar para falar mal de mim, eu não achei que iriam tão longe”, começou.

“Tiraram do contexto uma das imagens do vídeo do telão do show Rainha da Favela, que traz diversos registros de espaços e realidades que eu cresci e vivi por muitos anos, querendo reescrever o significado dele, e me colocando em uma posição que é completamente contrária à minha”, emendou.


Em outro trecho do desabafo, Ludmilla pede que parem de fazer críticas infundadas. “Não me coloquem nesse lugar, vocês sabem quem eu sou e de onde eu vim. Não tentem limitar para onde eu vou. Respeito todas as pessoas como elas são, independentemente de qualquer fé, raça, gênero, sexualidade ou qualquer particularidade que as façam únicas.”


No início do ano, a cantora comprou a sede da igreja Casa de Oração por aproximadamente R$ 750 mil. A edificação, que era alugada, fica no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste da capital fluminense. Ludmilla, que já teria investido na sonorização do templo, deu a igreja de presente à pastora Adriana Pereira, cujos cultos costuma frequentar em companhia de familiares.


Com informações de Santa Portal, Agenda do Poder e Veja.



3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Kommentare


bottom of page