top of page
  • IPACRI

Mais jovens afirmam que a Bíblia transformou suas vidas, mostra pesquisa

Mais jovens afirmam que a Bíblia transformou suas vidas, mostra pesquisa


A Sociedade Bíblica Americana divulgou a primeira parte de seu relatório State of the Bible USA 2024 na quinta-feira.


Uma nova pesquisa revela que a parcela de jovens adultos que pensam que a Bíblia teve um efeito transformador em suas vidas aumentou, mesmo que a maioria deles permaneça “desengajada das Escrituras”.

A Sociedade Bíblica Americana divulgou a primeira parte de seu relatório State of the Bible USA 2024 na quinta-feira. O primeiro capítulo, intitulado “The Bible in America Today” (A Bíblia nos Estados Unidos hoje), examina a incidência do uso e da leitura da Bíblia nos Estados Unidos, além de analisar as opiniões dos entrevistados sobre os efeitos da Bíblia em suas vidas. As informações do relatório baseiam-se em respostas coletadas de 2.506 adultos americanos entre 4 e 23 de janeiro de 2024, com uma margem de erro de +/-2,73 pontos percentuais.


Uma pergunta incluída na pesquisa perguntou aos entrevistados se eles concordavam que “a mensagem da Bíblia transformou minha vida”. Uma parcela um pouco maior dos entrevistados em 2024 (58%) concordou “um pouco” ou “fortemente” que a Bíblia teve um efeito transformador em suas vidas em comparação com 2023 (57%).


As porcentagens de adultos pertencentes à Geração X, nascidos entre 1965 e 1980, que concordaram “um pouco” ou “fortemente” com o efeito transformador da Bíblia em suas vidas, tanto em 2023 quanto em 2024, corresponderam aos números da população como um todo.


A parcela de entrevistados da Geração Z, o grupo mais jovem de adultos americanos definido como aqueles nascidos em 1997 ou depois, que citou a Bíblia como fonte de transformação em suas vidas aumentou de 50% em 2023 para 54% em 2024. O diretor de programas da Sociedade Bíblica Americana e editor-chefe da série State of the Bible, John Farquhar Plake, reagiu a essa estatística em um comunicado publicado na quinta-feira.


“Nossos adultos mais jovens mostram sinais de interesse na Bíblia, curiosidade sobre ela e interação transformadora com ela”, disse ele. “Se essa tendência continuar, temos bons motivos para ter esperança.”

Os Baby Boomers, adultos nascidos entre 1946 e 1964, foram a única geração que viu um aumento maior na porcentagem de entrevistados que creditam a Bíblia como uma influência transformadora em suas vidas. Sessenta e nove por cento dos Baby Boomers concordaram “um pouco” ou “fortemente” que a Bíblia teve esse efeito em suas vidas em 2024, um salto de 5% em relação aos 64% que disseram o mesmo no ano passado.


Por outro lado, a porcentagem de millennials, referentes aos adultos nascidos entre 1981 e 1996, que concordaram “um pouco” ou “fortemente” que a Bíblia transformou suas vidas caiu de 50% em 2023 para 48% este ano. A geração do milênio ou Geração Y, também foi a única a ter mais pessoas dizendo que leem a Bíblia com menos frequência em 2024 em comparação com 2023, com 12% dos entrevistados nessa faixa etária relatando que sua leitura da Bíblia diminuiu, enquanto 11% disseram aos pesquisadores que sua leitura da Bíblia aumentou.


No geral, 15% dos entrevistados disseram que sua leitura da Bíblia aumentou no ano passado, enquanto 10% disseram o contrário. Mais do que o dobro dos usuários da Geração Z pesquisados (21%) disseram que sua leitura da Bíblia aumentou no último ano do que aqueles que disseram que diminuiu (9%). Dezesseis por cento dos Boomers e daqueles nascidos antes de 1946 testemunharam um aumento na leitura da Bíblia, juntamente com 15% dos adultos da Geração X. Em contrapartida, 10% dos adultos mais velhos e 9% dos adultos da Geração X relataram uma queda na leitura da Bíblia.


A pesquisa também registrou uma diminuição tanto na porcentagem quanto no número bruto de usuários da Bíblia em 2024, ambos atingindo o nível mais baixo já registrado na história do relatório State of the Bible. O relatório define um usuário da Bíblia como alguém que interage com as Escrituras pelo menos três ou quatro vezes por ano fora dos cultos da igreja. O número de usuários da Bíblia caiu para um recorde de 99 milhões em 2024, enquanto a porcentagem de usuários da Bíblia caiu para um recorde de 38%.


O número de americanos que atendem aos critérios para se qualificarem como “Engajados nas Escrituras” com base em suas respostas a perguntas que examinam a frequência com que leem a Bíblia, o impacto que ela tem em seus relacionamentos com Deus e com os outros, bem como a importância de seus ensinamentos quando se trata de sua tomada de decisões, quase não se alterou no ano passado. No entanto, os 47 milhões de “Engajados com as Escrituras” registrados em 2023 e 2024 representam uma queda substancial em relação aos 71 milhões medidos em 2020.

“Cada vez mais, a Bíblia deve competir por nossa atenção em um mundo cada vez mais ocupado”, declarou Plake em resposta às descobertas sobre o envolvimento com as escrituras. “A pesquisa State of the Bible confirma isso, pois vemos o engajamento com as Escrituras diminuindo nos últimos anos, especialmente nas gerações mais jovens.”


Como sugeriram as observações de Plake, o envolvimento com as Escrituras é significativamente menor entre os adultos da Geração Z (11%) e a geração do milênio (12%) do que entre a Geração X (21%) e os adultos americanos mais velhos (24%). Uma sólida maioria da Geração Z (61%) e dos adultos da geração do milênio (65%) se enquadra na categoria “Descompromissado com a Bíblia”, que é atribuída aos entrevistados que recebem as pontuações mais baixas na Escala de Compromisso com as Escrituras.

Uma maioria menor de adultos da Geração X (58%) é “desvinculada da Bíblia”, em relação a menos da metade (49%) dos adultos americanos mais velhos.

Folha Gospel com informações de The Christian Post


6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page