• IPACRI

O governo civil e o Natal

O governo civil e o Natal

“Porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado, e o governo está sobre os seus ombros” (Isaías 9.6).

Jesus nasceu. Celebrar o natal é celebrar a esperança da vida eterna. Jesus é o único caminho para a salvação. Isaías, no versículo acima destaca a soberania de Cristo sobre todas as coisas ao dizer que o governo está sobre os seus ombros.

Quando voltamos aos primeiros capítulos do livro de Gênesis vemos a soberania de Deus na criação. Por meio da Palavra tudo foi criado. Ao homem foi dada a responsabilidade de ser o mordomo da criação. O projeto de Deus era que o homem tivesse um relacionamento direto com Ele e que guardasse e cultivasse o Éden.  

O pecado trouxe consequências drásticas para toda a criação. Os espinhos brotaram na terra, o homem já não se encontrava mais com Deus ao entardecer e todo o universo passou a viver sob o julgo do pecado.

O distanciamento entre Deus e o homem trouxe impactos em todas as dimensões da vida. Governos se estabeleceram sob o prisma do pecado. A condição pecaminosa do homem se refletiu em governos tiranos, em governos injustos, opressores que minam a liberdade do ser humano em detrimento de ideologias completamente opostas ao propósito para o qual Deus estabeleceu o governo civil.

O apóstolo Paulo em Romanos 13 aponta para o propósito original dos governos civis. Pois os governantes não devem ser temidos, a não ser por aqueles que praticam o mal. Você quer viver livre do medo da autoridade,  pratique o bem, e a própria autoridade o enaltecerá. Pois é serva de Deus para o seu bem. Mas, se você praticar o mal, tenha medo, pois ela não porta espada sem motivo.É serva de Deus, agente de justiça para punir quem pratica o mal.

Os governos devem funcionar punindo o mal e promovendo o que é bom. Quando os governos passam a promover o mal e punir o bem, o propósito pelo qual foi estabelecido fica completamente desvirtuado. 

Em Colossenses 1.19-20, a Palavra diz: Pois foi do agrado de Deus que Nele habitasse toda plenitude e por meio dele reconciliasse consigo todas as coisas, tanto as que estão na terra quanto as que estão nos céus, estabelecendo a paz pelo seu sangue derramado na cruz.

O propósito de Jesus nascer e morrer na terra foi o de reconciliar com Ele TODAS as coisas. O governo civil faz parte da reconciliação. Precisamos trazer a natureza de Cristo para a esfera de governo. Fazemos isso quando trabalhamos para o florescimento de governos comprometidos em promover a justiça, que proporcionem um ambiente para o desenvolvimento econômico e social de toda a sociedade.

O poder dos governantes provém diretamente de Deus. “Nenhum poder terias sobre mim se do alto não fosse dado” – João 19.11. Ao entendermos esse princípio não podemos hesitar em orar pelos nossos governantes e trabalharmos arduamente para que ajam de acordo com o propósito que Deus estabeleceu para o governo civil.

Que esta seja a realidade do Brasil em 2020!!

:: Carlos Said Pires – Grupo de Ação Política - GAP

0 visualização

Rua Palmeira de leque, 510

São Paulo, SP 08061-430

ipacrioficial@gmail.com

HOME

© IPACRI - Todos os direitos reservados

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Porque ele vive posso crer no amanhã!